Aparentemente, ainda existem um “grupo” de filmes, onde atores, técnicos e equipe compartilham algo por semanas e, em seguida partem de diferentes maneiras, sabendo o que eles terão todas as noites quando eles cantam juntos em volta de uma fogueira. Estando perto de Kristen e Garrett por algumas horas, você pode ver essa proximidade de imediato: a amizade definitivamente vem das filmagens/aventura. Eles podem ser jovens (21 anos e 26 anos), esses
dois tem vivido e não importa o quão bonitos eles são, eles não são bobos:

Honestamente, nós gostamos de criticar, mas aqui nós teremos
que nos curvar. Se os seus filmes não podem jogar a seu favor (Kristen com Crepúsculo e Garrett com Troia ), eles abordaram esta adaptação com tanta intensidade e inteligência que você pode ver nesta entrevista. A forma como eles ouviram sobre seus personagens e como eles retrataram com precisão ao interpretarem foi confirmada para nós pelos produtores e pelo escritor da biografia que estavam trabalhando como consultores no filme.Eles estão felizes por se verem outra vez, Kristen e Garrett, são tão
óbvios. Eles estavam alegres posando juntos, apertados um contra o outro em um velho e quebrado Chevrolet azul, que foi usado como um suporte para as fotos. Deitados, sentados ao volante, ao redor do carro, espalhados sobre o capô…

Eles riam e provocam-se mutuamente durante os intervalos, acendiam cigarros. Depois das fotos, os dois são entrevistados. Kristen, em uma camiseta branca e um short  bem curto cortado de uma velha Levis ’501, senta em um banco, com aparência natural, apesar de seus olhos escurecidos para a sessão de fotos. Garrett é muito doce e realmente bonito, senta-se em um sofá em frente e abre sua primeira lata de Coca-Cola do dia. Depois de muito champanhe entre as fotos(o assistente realmente lhe mostrou como se serve como um cavalheiro, o que fez o ator rir: “Assim parece com uma mulher, você tem que  beber pelo gargalo).

O Beat continua…Eles realmente queriam fazer este filme.

Kristen: Eu li On the Road quando eu tinha 14 anos. Foi o primeiro livro que me fez querer ler. Dois anos mais tarde, recebi o roteiro e me reuni com Walter. Às vezes você conhece pessoas e percebe que você quer fazer o trabalho pelas mesmas razões que eles. Qualquer que seja a conversa que estávamos tendo, nós compartilhamos um entusiasmo em comum, eu e ele sentimos a mesma energia. Quando eu fui embora, eu percebi que eu tinha ganhado o papel e saí pulando para todos os lados!

Garrett: Sim, você foi embora do nosso jantar por isso.

Kristen: O quê? Ah, certo, eu era muito nova.

LuAnne Anderson, a Marylou verdadeira, era jovem demais. Casou aos 15 anos com Neal Cassady, o verdadeiro Dean Moriarty. Garrett tinha 22 anos quando soube que ia interpretar o melhor amigo e cúmplice de Kerouac, ele disse, que o ajudou a abrir os olhos quando ele era adolescente e que ler o livro o fez sair de Minnesota. No set, ele comemorou seu 26 º aniversário. Durante os 4 anos de espera antes do orçamento ser finalizado, os atores nunca desanimaram. A persistência de “Walter Salles” foi notável. Ele preparou o projeto durante as filmagens de um documentário: na verdade, ele já  tinha começado o filme antes mesmo de ser dado sinal verde”, diz Garrett. “Com Walter e uma equipe de 50 pessoas, nós fizemos uma viagem de NY para LA, tivemos que parar 9 vezes por problemas com o carro, mas nós fizemos e conseguimos.” Chile, Argentina, Nova Orleans, Arizona, Cidade do México, Montreal, San Francisco. As viagens feitas para as gravações do filme, forçou a equipe a viver como ciganos por vários meses. Os três atores principais tiveram que fazer o mesmo durante esta jornada, nenhum conforto ou regalia (nem os agentes estavam presentes  o que é
bastante raro nos  EUA.)

Garrett: “Nós apoiávamos um ao outro. Nós fomos como uma família por 6 meses. E é um sentimento que muitas vezes você tem nesta linha de trabalho, exceto que um mês depois você se encontra com uma família completamente diferente. Mas para ter um sentimento tão forte que você pertence a aquele lugar nem sempre acontece. Por isso este filme, foi realmente especial. ”

Kristen : “Todo mundo que trabalhou nesse filme disse o mesmo, é raro fazer parte de uma experiência como essa. Se eu não tivesse feito parte dela, eu teria ficado com ciúmes! ”

Para fortalecer essa solidariedade, o produtor organizou uma excursão beatnik antes das filmagens: um mês submergindo a cultura da geração beat com leituras e exibições de filmes (todos os filmes de Cassavetes!). Foi uma prévia experiência comum que ajudou Kristen a se sentir familiarizada com sua personagem. “Eu tive a oportunidade de ouvir horas de gravação de LuAnne falando sobre aquele período, ouvindo a sua voz alegre quando ela falou sobre a maneira como ela dançava. Nós sabíamos tantos detalhes sobre as pessoas reais do livro, sobre suas vidas, que nos ajudou a interpretar cenas difíceis. Eles estavam com a gente. ”

Festa nu

Esta menina com uma personalidade forte e um sex appeal impressionante, que se juntou com dois amigos a bordo de uma Husdon de
1949, foi para Kristen um papel feminino bem raro, seja na literatura antiga ou no cinema de hoje . Luanne se apaixonou aos 14 anos por Cassady . “Algo provavelmente despertou seus sentimentos por ele”, explica a atriz, enquanto se mexe em seu banquinho. “Nada do que ela fez foi marcado pelo medo. Ela era uma pessoa que libertou-se da inibição, ela não era alguém que estava com medo. Seus olhos se abriam quando se tratava de vida, sem julgamentos, ela é capaz de encontrar a beleza em todos nós. Eu invejo ela. Ela constantemente explode, ela quer que todos se sintam bem o tempo todo. ” Uma menina sem tabus, que esta dividida entre os dois amigos.

Comentários de Garrett: “Ela entendeu que o ciúme não tinha qualquer significado. Ela sabia que seu homem estava dormindo em algum lugar e sua personalidade a fez querer tocar todo mundo.

Kristen: “Ela não se esquivou de dormir com todos os amigos deles”, Kristen continua. A promiscuidade erótica!!!! na versão não censurada do livro (o manuscrito original publicada em 2007) deve estar no filme também. De fato, o filme apresenta algumas cenas quentes, para além de uma atmosfera de festas e excitação permanente, tudo reforçado pelo uso de drogas e do álcool. On the Road é desenfreado como a vida do trio deve ter sido. O trio iniciou a liberdade hippie na década de 1970 com uma ou duas décadas de antecedência. Para os atores, sexo e drogas faziam parte do contrato desde o início das filmagens, mas é difícil obter detalhes sobre como eles experimentaram isso pessoalmente no set. “Nós sentíamos muito amor por nossos personagens e queríamos que as pessoas amassem – os tanto quanto nós.” ambos recordam. Nós compramos o seu entusiasmo. Mesmo que a história seja dos anos cinquenta, o filme é atemporal com seus heróis que todo mundo pode se identificar, começando com os atores. Ambos confessam estarem completamente conquistados pelo espírito de estrada, a sede de liberdade, a busca por ‘aquela coisa’. Eles ainda tiveram uma lição filosófica disso: “Quando você sai da escola, você sente  que o que você quer fazer está ao alcance da sua mão. Mas uma vez que a vida te faz tropeçar, você precisa trabalhar, você precisa ser bom. Em vez de sair correndo para  conquistar a sua vida, você é parado pela vida e você acaba perdendo a sua admiração /espanto. ”

Kristen,  no auge de sua carreira como uma atriz que trabalhou desde pequena, não queria perdê-la também. “Eu adoraria ser tão animada quanto esses caras eram. Eu adoraria ser assim todos os dias. Não tem nada a ver com a idade. ” Nós terminamos falando sobre o fim das filmagens do filme, sobre a desilusão e a separação. Garrett não pôde estar presente para a festa de encerramento por causa de outras obrigações (ele vai estar no próximo filme dos irmãos Cohen, ‘Inside Llewyn Davis’, que será filmado em breve em Nova York.)

“Você nem sequer assinou meu exemplar de On the Road ‘reprovou Kristen, que também alinhou os papéis enquanto filmava Branca de Neve, ao lado de Charlize Theron e, em seguida,  irá reuni- se novamente com Bella (e Robert Pattinson) para Amanhecer – Parte2 . “Foi difícil, eu senti como se estivesse voltando para a escola”, ela confessa.

É como o fim das férias de verão.

Fonte | Tradução Via: Equipe SKS - Via