Segue a baixo o vídeo e tradução da entrevista do Robert, dessa vez para “Sydney Morning Herald“, onde ele fala como odeia seu famoso apelido e sobre como ele lida com a fama. Confiram:

Ele tem sido Edward Cullen desde que ele foi Cedric Diggory de Harry Potter, mas para Robert Pattinson, o ator que interpreta o herói vampiro brilhante da franquia de filmes Crepúsculo, tem sido uma curva de aprendizagem.

“Quando você assina em alguma coisa quando você é ninguém, você se sente como se tudo está totalmente fora de controle”, disse ele em Sydney hoje. “Uma vez que você tenha experimentado uma vez, você percebe como tem o controle um pouco mais sobre ele.”

Uma das coisas que o ator gostaria de controlar é o apelido que se tornou ligado a ele por meio do turbilhão de publicidade de Crepúsculo: RPatz. “Eu gostaria de quebrar as mãos e boca da pessoa que veio com ele”, diz ele com uma risada.

É, só se passaram cinco anos desde que o primeiro filme de Crepúsculo atingiu nossas salas de cinema e o fenômeno do livro tornou-se um gigante da cultura pop, a introdução de “RPatz” e “KStew” para os nossos mundos e acrescentando frases como “Team Edward”, “Team Jacob” e “Twi-hards” para o léxico.

Para o ator, cujo relacionamento com Kristen “KStew” Stewart tornou-se intimamente ligado com a publicidade dos filmes e de marketing, a natureza única cultura Twilight é, em parte, a culpa para os fãs que têm obsessão com os atores da vida real.

“Essa é a única coisa com a qual eu tenho me aborrecido”, explica Pattinson. “O tipo de ‘time’. É estranho. Eu acho que isso é o que criou uma atmosfera muito estranha em torno de como os filmes são promovidos e outras coisas. Eles estão fazendo isso como um esporte ou algo assim. As pessoas realmente não podem ver os filmes mais porque eles estão pensando em toda essa tolice.”

Este “esporte” tem visto todos os aspectos de seu relacionamento com Stewart examinado na internet, a especulação precoce para saber se os dois eram genuinamente uma “coisa”, sobre o caso recente de Stewart com o diretor Rupert Sanders, seguido por seu pedido de desculpas público e a reconciliação com Pattinson. Frustrante Pattinson, ele acha mais difícil não ler a cobertura de internet quando está no seu pior.

“Quando você está promovendo alguma coisa, é estranho, é como um estranho tipo de vício. Se as pessoas cochichavam sobre você na sala ao lado, você provavelmente quer saber o que eles estão dizendo, mas realmente você sempre vai se arrepender, porque provavelmente eles estão falando merda sobre você. É uma coisa estranha. Você só faz isso se você está se sentindo mal, e quer se sentir pior. Se você está se sentindo bem você nunca procura isso.”

Então, ele está procurando para ele agora?

“Basicamente, sim”, ele ri. “Eu tento evitar, porque isso realmente não faz qualquer diferença. Quero dizer, você se preocupa por um minuto, mas todo mundo esquece muito rápido.”

Pattinson continua filosófico sobre perguntas sobre seu relacionamento. “Não depende de você, você poderia falar sobre absolutamente nada, o editor vai colocá-lo no entanto, eles querem de qualquer maneira. É parte da coisa em que você revela o que você quer revelar e falar sobre o que você quer falar. As pessoas perguntam-lhe sobre o que eles acham que o público é interessado e você realmente não pode ditar. ”

Ele é mais confuso com a resposta para seus outros papéis. “Eu acho que só porque Crepúsculo se tornou tão proeminente e espécie de mainstream, as pessoas pensam que eu sou parecido com o personagem, mas uma parte específica de Edward. Eu sempre achei tão engraçado quando você faz qualquer outra parte. Eles são como “este é o jeito de agir agora”. O que você acha que eu estava fazendo em Crepúsculo?”

 

Via|Tradução: Nana Gimenes – Equipe TTBR